fbpx

Conselhos para não deixar estragar comida

O desperdício alimentar é, cada vez mais, um problema crescente e atual. Cada um de nós tem a possibilidade e o dever de reduzir os alimentos que desperdiça. Assim, pode começar por pôr em prática alguns dos conselhos para não deixar estragar comida.

 

Conselhos para não deixar estragar a comida

Pelas mais variadas razões, acontece muitas vezes termos alimentos a aproximarem-se do fim do prazo de validade ou a degradarem-se antes de termos tempo de os consumir. Neste sentido, é importante encontrar estratégias que nos permitam prolongar o tempo de vida dos alimentos ou utilizá-los a tempo. Para tal, pode seguir alguns dos seguintes conselhos para não deixar estragar a comida.

Conselhos para não deixar estragar a comida

Fruta

  • É importante separar as frutas que aceleram o amadurecimento, como banana, maçã e kiwi, das restantes frutas.
  • Para não deixar estragar a fruta, tenha na fruteira apenas a fruta para 1 ou 2 dias. A restante fruta pode armazenar no frigorífico, já que isso irá atrasar o seu amadurecimento (excepto a banana que fica escura no frio; as laranjas, tangerinas e limões não amadurecem, mas pode evitar que ganhem bolor).
  • Acima de tudo, não deite ao lixo a fruta demasiado madura: utilize para fazer compota, batidos, sumos, purés, molhos, sobremesas ou simplesmente desidrate no forno utilizando depois para snacks.

Legumes/hortícolas

  • Do mesmo modo, os legumes frescos devem ser armazenados no frigorífico, atrasando o seu amadurecimento e decomposição, para não os deixar estragar.
  • Faça um planeamento adequado das refeições, de modo a utilizar 1º os hortícolas que duram menos tempo e deixando os restantes para mais tarde.
  • Se prevê que não consegue utilizar os legumes nos próximos dias, opte por congelá-los, impedindo que se estraguem e que percam as suas características nutricionais. Isto serve para qualquer legume/hortícola que seja consumido cozinhado (cebola, tomate, alho, abóbora, salsa e legumes de folha). Antes devem ser branqueados: depois de limpos e lavados, mergulhe os legumes em água a ferver, entre 1 a 5 minutos, arrefecendo-os imediatamente com água gelada; coloque em embalagens e leve ao congelador.

Laticínios

  • Os laticínios são alimentos sensíveis e de elevado risco, pelo que se devem seguir as indicações de validade, conservação e durabilidade da embalagem.
  • No caso do leite, este deve ser armazenado nas prateleiras de cima do frigorífico (que são mais frias) e não na porta. Depois de aberto deve ser consumido em 3 dias.
  • Quanto aos iogurtes, é importante respeitar o seu prazo de validade, devendo ter-se em atenção a quantidade que se compra e o tempo para o seu consumo. Desde que bem conservados, os iogurtes que tenham passado 3 dias do prazo de validade ainda podem ser consumidos. No entanto, se tem iogurtes com mais alguns dias mas que estiveram sempre no frio, pode optar por utilizá-los em preparados culinários, desde que cozinhados, como bolos, biscoitos ou panquecas. 
  • Para os queijos, tenha apenas em atenção que quanto mais secos forem os queijos, à partida, maior será a sua durabilidade, devendo consumir primeiro os que têm menos validade.

Ovos

  • Os ovos devem ser armazenados no frigorífico e fora das caixas de cartão. Só devem ser colocados à temperatura ambiente por breves momentos e imediatamente antes de serem utilizados (esta situação aumenta a humidade na casca e a água infiltra-se pelos poros, podendo arrastar microorganismos para o interior).
  • Se perceber que não consegue utilizar os ovos até ao fim do prazo de validade, pode sempre optar por congelá-los: retire a casca e armazene-os em sacos ou recipientes que possam ir ao congelador; pode congelar o ovo inteiro, separar clara e gema e ainda armazenar vários ovos juntos para usar de futuro em preparados culinários (bolos, ovos mexidos, claras em castelo).

Pão

  • De forma a manter o pão fofo, estes devem ser conservados num saco de plástico devidamente fechado, aguentando 1 a 2 dias.
  • Se prevê que não vai utilizar todo o pão, congele-o de imediato, devidamente embalado.
  • Se ainda assim ficar com pão duro, não o deite fora: pode fazer torradas, tostas, pão ralado, açordas, croutons e outros preparados culinários.

Carne e Peixe

  • A carne e o peixe frescos devem ser sempre armazenados no frigorífico, sendo que não devem permanecer aqui mais do que 2 dias. 
  • No entanto, se não prevê utilizá-los em 2 dias, conserve de imediato no congelador, podendo guardar em porções individuais e já partido e preparado.
  • Por outro lado, se não vai congelar, pode sempre cozinhar a carne ou o peixe, sendo que desta forma aguentam mais tempo no frigorífico. 

Não deixar estragar sobras e outros alimentos

  • Se lhe sobrar uma quantidade razoável de comida em alguma refeição, o mais certo é conseguir utilizá-la para uma outra refeição: aproveite toda a refeição ou, pelo menos, algum componente desta.
  • Da mesma forma, pode aproveitar o que sobra de várias refeições, juntar tudo e tem uma refeição preparada.
  • Aproveite outros alimentos que estejam a chegar ao limite da validade e utilize-os nos seus preparados culinários, como por exemplo, fiambre ou queijo, natas, frutos secos…

Concluindo...

  • Um dos principais conselhos para não deixar estragar a comida é conservar sempre os seus alimentos da melhor forma possível, prolongando o seu tempo de vida.
  • Outro conselho importante é comprar os alimentos e forma racional e programada, ou seja, comprar apenas o que tem capacidade para consumir ou armazenar.
  • Faça um planeamento das refeições e utilize os seus géneros de acordo com a sua durabilidade.
  • Acima de tudo, tente não deitar alimentos fora – procure sempre uma segunda utilização para os seus alimentos.

dina

Nutricionista clínica, coach nutricional e formadora. Especialista na Saúde da Mulher, Nutrição materno-infantil, Nutrição Pediátrica e Nutrição funcional.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *