fbpx
Pequeno-almoço com filhos
Alimentação criança,  Alimentação saudável,  Lanches saudáveis

Pequeno-almoço com filhos

    Idealmente, o pequeno-almoço com filhos seria um momento descontraído, sentados à mesa a tomar uma ótima refeição e a ter uma conversa agradável. MAS NÃO! NADA DISSO!!! O pequeno-almoço tende a ser uma luta e a cozinha um campo de batalha, com comida no chão e na roupa! Com gritos entre irmãos e choros de quem desespera por comida. E tudo isto enquanto corremos para sair de casa a horas e, muitas vezes, depois de uma noite mal dormida!

Pequeno-Almoço com filhos

    Acontece o mesmo em sua casa? Pois! Mas tenha calma e respire! A verdade é que o pequeno-almoço é mesmo das refeições mais importantes e o único momento que tem com os seus filhos em família antes de saírem para o mundo lá fora. Lembre-se que, se a noite tiver corrido bem, as crianças estão há muito tempo sem comer e estão com fome. Além disso, é possível que estejam também com sono e a precisar de um carinho, no meio de tanta correria. Acima de tudo, cabe-lhe a si minimizar toda a agitação e tornar este momento o mais tranquilo possível.

Cuidados para que o pequeno-almoço corra bem

   Em primeiro lugar, comece por planear todas as tarefas no dia anterior, nomeadamente preparar as roupas que vão vestir, fazer as mochilas e planear o que vai fazer para o pequeno-almoço. De manhã, tente não demorar muito até dar o pequeno-almoço aos seus filhos – eles estarão com fome e, possivelmente, a forma de o expressarem é fazendo birras por tudo e por nada. Se necessário, pode dar-lhes alguma coisa para comerem durante a preparação do pequeno-almoço, como por exemplo, o leite, que basta aquecer, ou uma peça de fruta. É importante evitar que a criança desespere e que fique demasiado stressada e irritada. Acima de tudo, a prioridade é que a criança coma um bom pequeno-almoço e não saia de casa sem se alimentar.

    Recorde que o pequeno-almoço deve ser:

– completo: inclua cereais não açucarados ou pão, laticínios e fruta natural

– equilibrado: tenha em atenção as necessidades dos seus filhos e quanto tempo vão estar sem comer até à próxima refeição. Tente que comam o suficiente para não sentirem fome até à refeição seguinte, mas respeite a saciedade da criança

– variado: alterne os alimentos que oferece, dentro das preferências dos seus filhos e das opções mais saudáveis.

Quando os filhos recusam o pequeno-almoço

    Por outro lado, também é frequente as crianças simplesmente não tomarem o pequeno-almoço. Se este é o seu caso, possivelmente terá de reavaliar toda a rotina da criança, desde o deitar até ao momento de sair de casa. Depois de passar uma noite sem comer, é suposto a criança sentir fome. No entanto, se isto não acontece, terá de tentar perceber os sentimentos da criança e o motivo pelo qual se recusa a comer. Certamente que as razões irão variar de criança para criança, contudo, há fatores mais comuns.

Acordar em cima da hora

    Se acorda o seu filho em cima da hora, ainda o veste meio a dormir e depois o senta na mesa, é possível que o seu filho ainda esteja sonolento e sem vontade de comer. Neste caso, opte por acorda-lo um pouco mais cedo, faça a rotina com calma e aproveite para brincar com ele, dando-lhe tempo para que acorde – provavelmente 15 minutos serão suficientes e poderão fazer toda a diferença.

Comer sozinho

    Se no momento do pequeno-almoço ninguém está sentado à mesa, apenas coloca o seu filho na cadeira e espera que ele engula a comida, o mais provável é que ele não queira comer e se sinta sozinho. Por outro lado, não vai entender porque apenas ele tem de ficar sentado e comer aquela refeição, podendo até encarar isso como uma espécie de castigo (ficar sentado sozinho, virado para algo). Mais uma vez, reserve mais tempo para o pequeno-almoço e partilhe esta refeição com o seu filho, dando o exemplo e mostrando-lhe que é altura para comer, não apenas ele, mas toda a família.

Intervalo entre refeições

    Deve ainda ter em conta a última vez que o seu filho comeu. É possível que tenha chorado de madrugada e lhe tenha dado algum leite para o confortar. Se assim foi, é natural que não sinta grande apetite poucas horas depois. Nestas situações, se tiver mesmo de dar o leite de madrugada, dê apenas uma pequena quantidade, suficiente para que volte a adormecer. Assim, quando acordar, terá mais apetite para o pequeno-almoço.

Substitutos do pequeno-almoço

    Outro exemplo do que não deve fazer é dar alimentos menos saudáveis e, por norma, mais saborosos e atrativos para a criança, quando o seu filho sai de casa sem tomar o pequeno-almoço. Isto porque, se a criança começa a perceber que se não tomar o pequeno-almoço recebe snacks/bolos/bolachas, vai deixar de tomar o pequeno-almoço de propósito para continuar a recebe-los.

Horas de sono

    Tenha ainda atenção ao número de horas que a criança dormiu (no mínimo 9 horas) e se serão suficientes. Caso contrário, a criança estará com sono e cansada, não tendo disposição para comer ou para brincar e aprender. Garanta que o seu filho tem uma boa noite de sono.

Pequeno almoço com os filhos

    Concluindo, faça um planeamento antecipado do pequeno-almoço, ofereça alimentos apelativos e pouco tempo depois dos seus filhos acordarem. Garanta uma refeição saudável e em quantidade suficiente. Mantenha a calma, converse com o seu filho, olhe-o nos olhos e dê-lhe abraços e beijos. Alimente primeiro o ego dos seus filhotes e depois junte-se a eles para um bom pequeno-almoço em conjunto. Coloque-se no lugar dos seus filhos e procure perceber o que poderá estar a perturbá-los. Lembre-se que as refeições são o momento para alimentar e nutrir os seus filhos, mas também para os educar e transmitir os sentimentos que ficarão para sempre na memória deles associados a estas ocasiões.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *